quarta-feira, maio 16, 2007

Vincent & Van Gogh - resenha de livro


Resenha do livro: Vincent & Van Gogh
Autor - Gradimir Smudja,
Jorge Zahar Editor, 2004
Tradução de André Telles

Pitorescos textos em quadrinhos contam a vida de Van Gogh, um comerciante holandês e amante da arte... Até que aparece um misterioso gato na história, que assume seu desejo de ser pintor.


Numa pitoresca atmosfera de textos em quadrinhos, Van Gogh, um comerciante holandês e amante da arte, ruivo e trajado sempre com um casaco verde, não conseguia inspiração para pintar suas telas. No entanto, “quando alguma coisa desanda nos céus” e vem a chuva, ou até a neve, é prenúncio de algo sobrenatural, assim como o aparecimento de um gato na história, que assume seu desejo de ser pintor.

Van Gogh tentou pintar e até mostrou algumas de suas telas para artistas como Gauguin e Lautrec, mas estes não aprovaram sua arte. Ele vivia solitário numa cidade grande e quando um dia achou uma paleta de pintor caída sob o terraço de Gauguin, achou que era um sinal. Van Gogh resolveu consultar uma vidente que lhe previu um “mundo secreto e multicolorido”, onde sua linha da vida descia. Ele entendeu que deveria descer para o sul da França e tentar a vida na bela Provence - instalou-se numa casa amarela e passou a viver a espera da inspiração.

Um dia, Van Gogh enfrentou uma escaramuça de gatos de rua para salvar um gato ruivo. Ele levou Vincent para casa e quando se recuperou, o bichano começou a pintar quadros impressionistas com as próprias garras, começando com o célebre “Girassóis”. A partir daí ficaram amigos. Vincent pintava e Van Gogh pedia em vão para que lhe ensinasse sua arte, pois tudo que o gato fazia parecia mágico.

Com o tempo, o gato virou gatuno e à noite saía para roubar. Certa vez foi detido e Van Gogh, condoído, tirou-o da prisão. Vincent não se emendou e aos poucos foi tomando o lugar de Van Gogh, chegando a vestir também uma casaca verde. Temido por todo mundo, o gato dizia que era filho de uma fada com o diabo... Até que foi internado num manicômio por ter cortado uma orelha de Van Gogh. Mesmo assim, o amigo quis libertá-lo, mas já era tarde, porque Vincent, arrependido, cometeu suicídio.

Vincent deixou-lhe mais de mil telas pintadas sem assinatura, onde alguém grafou o nome Van Gogh como autor das mesmas, depois que o “pintor” também faleceu.

Madalena Barranco


Observações da Magalena: O autor faz a releitura da vida de Van Gogh adaptando-a a uma criativa lenda de que o pintor teria roubado os quadros de um gênio desconhecido, que de certa forma era ruivo como ele: seu gato, que seria fruto do bem e do mal, assim como as instabilidades da alma humana, representadas pela pintura impressionista. O livro mostra em sua bela galeria de quadrinhos as principais obras de Van Gogh e de outros pintores de sua época, dando vida aos objetos de suas telas, com a mensagem de que: para pintar há de se saber sonhar...

Bruxa Uva: esse gato Vincent é dos meus! Eu não ia falar... Mas, quem criou e adestrou esse gatinho malvado & inteligente fui eu.


Fada Margarida: deixe de tanto blábláblá, dona Bruxa! Pois quem mostrou os girassóis para o gato, ops, melhor dizendo, para Van Gogh, fui eu, como legítima representante das fadas e das flores.


Beijinhos

2 comentários:

  1. It places fhoto of Madeleine in your bloggue


    Missing Madeleine!
    Madeleine, MeCann was abduted from Praia da Luz, Portugal on 03/03/07.

    If you have any information about her whereabouts, please contact Crimestoppers on 0800555111 Please Help

    ResponderExcluir
  2. Queres provar o petisco que fiz para o Coelhinho ?

    D. Maria

    ResponderExcluir

Plante um moranguinho com seus comentários. A Magalena e sua turma responderão por aqui, ou, diretamente em seus blogs. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...