quarta-feira, setembro 12, 2007

Deusa da Lua - poesia


Ondas frias beijam-lhe os pés
e ela continua inerte
aos gélidos apelos...

O mar toca-lhe a fronte
e o refúgio de uma lua negra
renasce entre as rochas da noite.

Alma de Gelo
implora
pelo feitiço da aurora.

Madalena Barranco
Registro na FBN/EDA

Bruxauva: ah, a série de mistério continua! Agora já posso roer meus sapos com a barriga de meia-lua sem paz.



Moscatela Roxa: essa poesia é uma de minhas favoritas, mestra bruxa! A Magalena devia estar me criando, ou seja, trazendo-me do mundo da fantasia à realidade, quando escreveu “Deusa da Lua” e também...

Bruxauva: minha aprendiz de feiticeira só me dá trabalho! Quantas verrugas mais eu terei que fazer brotar de minhas entranhas até que essa cabeça roxa aprenda, que a humildade é tudo o que desclassifica a estirpe das bruxas!!! A Moscatonta acha que foi pra ela que a Magalena escreveu... Bah! Claro que foi para ela e principalmente PARA MIM! Dona da mais bela feiúra deste Universo finito.

Magalena: nem para uma e nem para a outra! Donas bruxinhas vaidosas. Escrevi para todas as mulheres em homenagem à sua magia inata.


Beijinhos mágicos

2 comentários:

  1. Um poema pequenino, dedicado a todas as mulheres.
    _E quem é a Alma de Gelo?... Espero que seja apenas uma metáfora.
    Fica bem.
    A felicidade por aí.
    Um beijinho para ti.
    Manuel

    ResponderExcluir
  2. E a gente consegue sentir aquele velo espelho a mirar o universo e nos permitir grandes sensações.
    Lindo poema minha cara...

    ResponderExcluir

Plante um moranguinho com seus comentários. A Magalena e sua turma responderão por aqui, ou, diretamente em seus blogs. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...