segunda-feira, outubro 29, 2007

Festival Halloween - poesia enfeitiçada


Bruxauva: finalmente! Mas se vocês pensam que eu vou participar estão enganados – hehehehe! Ficarei no camarote deliciando-me com um saquinho de pipocas com molho de patinhas de sapos, enquanto minha aprendiz de feiticeira, a Moscatonta, ops, melhor dizendo, a Moscatela Roxa trabalha... Não posso cansar a minha feiúra milenar.

Moscatela Roxa: está bem, mestra bruxa. Começarei falando do saci-pererê...



Bruxauva: nada de saci!!! Ele é meu melhor inimigo, no entanto, estamos aqui para falar de bruxas. Quem tem a palavra sobre o saci é a Cuca do Sítio do Pica-pau Amarelo, portanto: revejam os contos interativos do blog 1.de Vista do Jorge Antonio, que lá tem bastante coisa sobre o saci. Continue Moscatonta.

Moscatela Roxa: ah, entendi. Segundo a mitologia celta, na noite de 31 de outubro até 01 de novembro celebrava-se o Samhain ou Halloween, ou seja, o ano novo celta que ocorre no período do início do inverno no hemisfério Norte. Esse festival marcava o fim do calor e o início do frio. Nessa data acreditava-se que o véu entre o mundo material e o espiritual ficava tênue e as duas dimensões podiam tocar-se... Eu não gosto de dizer “Dias das Bruxas”, que foi denominado assim pela Igreja Católica, mais precisamente pelo Tribunal do Santo Ofício – brrrr, que medo (esse é um fato histórico e não é minha intenção falar mal de igrejas ou crenças religiosas), porque se afasta do significado tradicional, que é: “noite sagrada” > “hallow evening” em inglês.

Bruxauva: eu gosto mesmo é de “Dia da Bruxa”, sem o “s” final. E podem acrescentar aí “Uva Passa” e...



Magalena: assim não dá! Continuamos no próximo post, antes que nossa controvertida bruxinha estrague a maquiagem com um ataque de raiva. A seguir, a poesia, que a Moscatela me inspirou a escrever, para oferecer ao seu amado Duende Lilás. Por falar em tal duende, cadê o Lilás?


Moscatela Roxa: nós brigamos e ele está hibernando... Talvez meu feitiço de amor funcione!


FEITIÇO DE AMOR

Bruxa imersa
em teus braços em cruz
sinto a eterna invocação
que enfeitiça as veias
do nosso amor.

Aninhei minha anima
no animus bruxo
de um ainda humano,
e primeiro suspiro.

Respiro...

Enlaças-te em alma e corpo comigo,
dentro da flor de todo sentido?

Madalena Barranco
Registro na Fundação Biblioteca Nacional – EDA
Respeite os direitos autorais.

Beijinhos e aguardem a continuação do festival durante toda esta semana!

7 comentários:

  1. Madalena
    Maravilha de site mundo da fantasia está cada vez sensacional!!
    Só a Bruxauva continua se achando mas eu gosto da chatisse dela fazer o que srsrsrsr a sua estoria é interessante, continuarei fazendo minhas visitinhas ok!
    bjkasss

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Tema até feitiço?! Uau!!!

    Vai ser bom esse "Halloween"!!!

    Bom saber da origem da festa.

    Beijos, lindeza(s).

    ResponderExcluir
  3. Aquele texto gostoso, temperado com o humor de sempre... :)

    ResponderExcluir
  4. Olá, Madalena!

    Não sou muito adepto do Halloween, precisamente porque é uma tradição cultural que não tem a ver com as minhas raizes - gosto mais do Carnaval, por exemplo (mas do tradicional; nem tanto do "folclore" do Rio...).

    Agora, do que gostei muito, foi do poema! Como é costume, aliás!

    Um beijo, deste cantinho (atlântico e mediterrânico) do mundo!

    António Vitorino

    ResponderExcluir
  5. Ainda bem que aqui vc pode colocar todos os acentos, que bom que nem todo mundo pensa iqual, assim sempre vai ter um lugar na internet pra gente se encontrar........
    Faz bem ler seus textos, não desista um dia o falso moralismo cai diante de verdade, e do direito de cada um ser cada um.......

    ResponderExcluir
  6. Oi Madalena, adorei encontrar um escrito sobre o Samhain e concordo com vc, não existimos para falar mal de outras crenças e sim para nos dedicar a que acreditamos.
    É bom ler você novamente, deixo aqui o meu carinho e os meus sinceros desejos de feliz ano novo (uma vez que o meu ano começou ontem) já que há em mim essa predileção pela arte Celta, se bem que eu acho que você já percebeu isso.

    Ah! E esteja certa que é uma honra tê-la participando do Coletânea Artesanal. Obrigada pelo carinho.
    Beijinhos a você.

    ResponderExcluir
  7. Antonio Manoel Abreu Sardenberg - Minha querida amiga e grande poetisa Madalena Barranco. Estou aqui para agradecer o carinho de suas palavras deixadas no nosso livro de visitas do Alma de Poeta e ao mesmo tempo dizer que o seu blog continua maravilhoso. Um trabalho cheio de luz, versátil e inteligente. Você com esse blog presta um grande serviço a literatura e aos leitores internautas amantes da poesia. Você estará certamente no nosso cafezinho. Um abraço do seu amigo e amirador - Sardenberg

    ResponderExcluir

Plante um moranguinho com seus comentários. A Magalena e sua turma responderão por aqui, ou, diretamente em seus blogs. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...