sexta-feira, janeiro 11, 2008

Poemas dedicados a Magalena por amigos queridos - I

Platinho: ufa, vim correndo para conferir os poemas para a Magalena! Eu estava até agora em férias no RJ, acampado a beira da Lagoa Rodrigo de Freitas. Lá pertinho da casa do Luiz Ramos – ele me viu e batemos um papo filosófico sobre o respeito à natureza. Eu estava pesquisando sobre a quantidade de seres elementais que vivem na Lagoa, entre ninfas, gnomos e fadas e depois fui até a cachoeira de que fala o Ricardo Calmon e pasmem: encontrei parentes do nosso amigo gnomo Azul bem nos lugares indicados pelo Calmon!! Eu trouxe na minha minúscula mala todo o carinho dos amiGOs do Rio.

Bruxauva: bah, e eu também, arrancada que fui pela curiosidade do spa das Tarântulas Negras, vim para conferir – hehehe – os poemas que estão endereçados à Magalena e que no fundo “eles” dedicaram à MIM – pois não tiveram coragem de dizer que eu sou melhor & mais belafeia do que a Magdatuga...

Mago Limonada: te peguei, sua bruxa traidora!!!! Depois de cinqüenta anos em briga e separados, eu, finalmente me atrevo a procurá-la, verruguenta linda dos meus piores pesadelos, e você está aqui falando de OUTROS? Eu estava certo quando achei que minha limonada não lhe bastava... Por isso que eu sou mago e você ainda é bruxa... Vou-me!

Bruxauva: bah, tem quem me queira, seu limão amarelado e enrugado! Quem disse que eu sentirei saudade?!



Magalena: schhhh! Parem de brigar meus “amores” – e leiam o poema que o Fernando Medeiros, irmão do meu amigo Sílvio, fez para mim em 2007... Confesso que eu sou meio tímida, mas... Publicá-lo novamente foi um jeitinho que eu achei de homenagear esse amigo tão querido e começar o primeiro post do ano com toda minha gratidão a esses presentes que a vida nos dá. O Fernando em breve estreará como escritor convidado no Canal Imaginário, do Espaço ECOS, Portal Vânia Diniz. Eu lhes aviso quando ele estrear.

TELÚRICA

À poetisa Madalena Barranco

Telúricas formas...
Madá – rocha preciosa
entre telas e fadas,
rosa vai-se airosa,
bailando à Valsa das Flores.
Telúrica... Madá, pedra do amor,
vai-se cantando a poetisa
na brisa de todos os cordéis.
Telúrica – brisa Madá,
vão-se doirando todos os anéis.
Telúrica Madá,
pairando sobre os capitéis.
És Telúrica!
Cor de todos os pincéis...

Autor: Fernando Medeiros

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-


MADALENA... Do amanhecer


À doce poetisa Madalena Barranco

Madalena,
és mais que um
poema.
És mulher.
És sentimento.
Madalena,
és fita de
cinema colorido.
És vestes
de ternura e gemido.
Madalena,
és luz refletida
na açucena.
Madalena,
és delírio
de um poeta.
És mais do que
um poema,
és mulher
sob um teorema.
És lírica.
És professora,
És luz que brilha
na aurora.
Madalena acima
de qualquer poema.
És mulher sublimamente,
é difícil ser,
Madalena do amanhecer.

Autor: Fernando Medeiros
Campinas, é outono de 2007.



Fernando Medeiros, de Campinas, SP, escritor & poeta, amigo querido da Madalena Barranco.
Outros textos de
Fernando Medeiros no Recanto das Letras» e blogs Imprimis e Arquivinhos, nestes últimos – ele publica junto com seu irmão, o prof. Dr. Sílvio Medeiros.


Beijinhos de gratidão da Magalena.
P.S.: no próximo post a série continua!



P.S. DA BRUXA: sua exibida & Magdatuga!!!! Veremos o que continuará no próximo post – heheheh!

16 comentários:

  1. Ai...que lindas as poesias!!!! Belos presentes :)
    beijos bom final de semana

    ResponderExcluir
  2. Essa sua energia, essa sua graciosidade só poderia mesmo resultar em belos poemas que vocês tão bem os merecem.
    Madá - infelizmente perdi meu blog Acqua (sumiu tudo lá graças a um problema no blogger que não sabe dizer ao certo o que ocorreu). Resultado? Estou de mudança. Vou para outro canto - aos poucos. Deixo aqui meus novos endereços, caso possa divulgá-los, pois está me dando certo trabalho isso...
    Coletanea Artesanal
    www.coletaneartesanal.wordpress.com

    Livro Aberto (voltará em breve)
    www.livroaberto.wordpress.com
    - aliás, estou selecionando novos autores, caso tenha alguma indicação, diga-me por favor.

    Acqua (que voltará na próxima semana)
    www.acqua.wordpress.com

    Abraços cheios de carinhos e agradecimentos a você e um excelente fim de semana...

    ResponderExcluir
  3. VOZES DA FLORESTA (CANTO IV)
    Para Madalena Barranco (magalinda)

    "Certa vez adormeci em meio a ruídos exóticos de canoras músicas. Meus sonhos, entrelaçados no oco das árvores deslizavam no seio da grande mãe verde, que paria vegetações, enquanto o vento flutuava despreocupado descobrindo o corpo da madrugada insone em luas antigas, revelando orvalhos arborizados.

    O vento leve flutuava sob os pés mágicos de elfos e duendes, e ao som de pífaros e harpas meu corpo dançava, e a festa na floresta realizava a magia desenhada dentro de mim."

    Um carinho meu pra ti minha querida!
    Parabéns pela homenagem você merece!

    Lu Cavichioli

    ResponderExcluir
  4. Letícia, obrigada querida! Bom fim de semana para você também e... Me aguarde porque agora vou conferir sua estréia no Mostra Plural!!! Beijos.

    Lunna, mas que coisa, não?! "Sumiram"? Você fez bem em mudar de blog, porque isso é de fato muito estranho... Já alterei os links - agora vou passar lá praa matar a saudade dos seus textos e da "novela" da Perla, que está um show. Beijos e muito obrigada por suas palavras.

    Lu, que surpresa! Estou emocionada com seu belo texto... "As vozes da floresta" é o que há de mais lindo na natureza e você, amiga querida, soube expressá-las de forma especial. Beijos - muito obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Ei, ei,Platinho
    eu também fui ao Rio de Janeiro. Passei dias maravilhosos em Paraty.
    Beijo prá você.
    Cê viu os poemas dedicados à Madalena. Lindos né?

    Beijos e beijos

    Jacinta

    ResponderExcluir
  6. Bom dia e um bom domingo a todos os seres fantásticos do LETRAS DE MORANGO, em especial à Fadinha Madá (a Musa que encanta multidões)!...
    A todos vocês (e à minha Fadinha) eu gostaria de esclarecer que não conheço o autor do texto AINDA RESTA UMA ESPERANÇA. Encontrei-o num calendário/2008 distribuído pela igreja católica Santa Rita de Cássia, aqui de Planaltina, e encantei-me com o conteúdo. Os créditos do texto estavam conforme mencionei no PORTAL DA POESIA, portanto, infelizmente não sou co-autor de tão grandioso texto.
    Um forte abraço a todos.

    P.S.: Madá, retorne ao PORTAL, pois quando você passou por lá, eu fazia a atualização dos textos. Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Jacinta, fui ao seu lindo "Florescer" colher um buquê de fantasia, que você cultiva em cada letra de talento e sua bela crônica sobre a viagem à Paraty. Obrigada pela visita. Beijos.

    Joésio, o Duende Lilás fica radiante quando você aparece e eu também!!! Muito obrigada pela gentileza de sua resposta. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Madalena, comungando com os poemas lindos em linda homenagem! É sempre emoção visita-la aqui, com suas criaturas mágicas e levar pra casa uma poção dessa magia... Beijo carinhoso, lilian

    ResponderExcluir
  9. Mana Madalena, obrigado por mais uma vez visitar meu blog e ainda ter gostado da minha poesia. Sempre venho aqui e fico admirado por ver que vc é muito querida... até poesias fazem em tua homenagem, que maravilhoso ver todo esse carinho, é sinal de que vc cuida bem dos teus amigos, parabéns! Maninha, volte mais vezes ao meu blog, ok? Beijos e tenha uma bela semana de muito sucessos.
    Atenciosamente,
    Rodrigues Bomfim

    ResponderExcluir
  10. Olá, Madalena!

    Esses dias eu estava passeando pelo garganta da Serpente e dei de cara com um texto seu sobre barbarismos linguísticos. Achei simplesmente fabuloso!!! Incrível como vc consegue brincar com informações complexas, tornando tudo tão leve.
    E parabéns pelos poemas em tua homenagem, são justos á musa.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Lilian, ah, mas você que "fabrica" magia pelas aldeias da poesia (sou fã de sua poesia) sempre que vem aqui empresta um pouco para a fantasia!!! Beijos e obrigada.

    Rodrigues, obrigada pela simpatia fraterna!!! Seu blog brilha com essa energia de paz. Obrigada - abraços e... Voltarei ao seu blog.

    Plínio, ter você em meu bloguinho é uma grande alegria! Justo você que é cavaleiro em luta pela literatura e muito querido coordenador do projeto Leia Livro, que leva a cultura e incentivo à leitura para muitos. Muito obrigada - eu e as criaturas fantásticas estamos aqui dando pulos de alegria.Um grande abraço nosso.

    ResponderExcluir
  12. Olá, Madá!
    Já havia lido algo do Fernando lá no Recanto.Os poemas a ti dedicaddos estão translumbrantes.Adorei esse post! Sou fã da Bruxauva, o lado id dos teus fantásticos.Bjins meus, Betha.

    ResponderExcluir
  13. Pickwick: doce e gentil Magalena, por acaso sabe se a "tia" Madalena já retornou das férias?

    Magalena: já voltei, sim!

    Pickwick: Voltei? Ora, Magalena, empregou o verbo de maneira errada. A frase correta é "Já voltou, sim!

    Madalena: Pickwick! Você por aqui? Já estou de volta.

    Pickwick: Folgo em vê-lo, Madalena! Parabéns pelos poemas que escreveram pra você. Aliás, homenagens muito merecidas.

    Madalena: Pois é, você sabe como são os amigos!

    Pickwick: Vou seguindo, passei para lhe cumprimentar e matar as saudades desse lugar de magia. Até! Um beijo!

    Pickwick vai se afastando, rumo ao condado de Deux Chevaux.

    Duende Lilás: Pssst! Ei, Mr. Pickwick!

    Pickwick: Duende Lilás!

    Duende Lilás: Olha, a "tia" Madalena é assim como aqueles super-heróis...

    Pickwick: Não diga! Ela tem algum super poder? Como o Homem Aranha, por exemplo?

    Duende Lilás: Claro que não! Acaso já a viu escalar algum prédio? (Adultos!) Na verdade, ela tem uma identidade secreta, igual ao Super-homem, que é o mesmo Clark Kent.

    Pickwick: Incrível! Ela transforma-se em alguma heroína?

    Duende Lilás: Não exatamente. Chegue mais perto, vou falar baixo: na Magalena.

    Pickwick: Raios! Bem que eu desconfiava.

    Duende Lilás: Mas não conte nada pra "tia" Madalena, hein? É segredo.

    Pickwick: É lógico que não! Eu conheço a solidariedade masculina. Grato pela confiança. Até mais, e campos de morango para sempre!

    ResponderExcluir
  14. Seus amigos são um doce e o Platino então?? Diz pra ele que eu gostaria de dividir com ele o carinho dos amiGOs do Rio (pretenciosa!) mas infelizmente "alguém" (quem?) não me quer por lá!! É isso, Madalena, o moderador disse que não confirmei o e-mail com a senha de cadastro e eu, o que faço, se consegui postar antes mesmo de confirmar um e-mail que não recebi! Mesmo assim não geram outra senha. Hoje mandei outro e-mail para o moderador.
    Madalena, quero agradecer todo carinho e atenção que teve comigo este ano! Feliz 2008! Beijus

    ResponderExcluir
  15. Olá, amiga!
    Venho desejar-lhe bom fim de semana.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Betha, que legal que você já havia lido os textos do Fernando!!! Mas quem ficou mesmo in-feliz foi a Bruxauva por descobrir mais uma fã - heheh! Beijinhos e obrigada.

    Luma, feliz recomeço para você também!! O Platinho e eu também adoramos sua filosofia blogueira – você sempre tem algo bom e instrutivo para dizer em seus posts. Muito obrigada pela visita e quanto ao Globoonliners – se o moderador não lhe responder acho que a melhor solução é abriri novo cadastro e novo blog... Beijos.

    Oliver, eu nem sei o que dizer depois de seu encantador comentário!!!! Você é um dos “meninos” mais gentis que eu conheço na blogosfera. Você não apenas deixou-me um lindo comentário, como também escreveu em minha linguagem do mundo da fantasia... Sim, você está certo, mas não conte para alguém, está bem? Em surdina lhe digo: a Magalena sou eu! Hehehe! Beijinhos felizes.

    Vieira, obrigada pela gentileza!! Bom fim de semana para você também. Beijinhos.

    ResponderExcluir

Plante um moranguinho com seus comentários. A Magalena e sua turma responderão por aqui, ou, diretamente em seus blogs. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...